quinta-feira, 9 de junho de 2011

Imprimir e colar

Regresso ao blog depois de um semestre muito preenchido (já tinha saudades...).
Não tenho o hábito de comentar trabalhos não profissionais mas estes dois exemplares de design caseiro «saltaram-me para os olhos» e aqui estão eles.
Tanto um como o outro partilham o mesmo «know how» que basicamente se resume a: "– Ó pá! Temos de fazer aqui um cartaz baratinho! Como é que é? Vamos escrever aí umas palavras no Word, imprimimos em A4 em papel de fotocópia, recortamos e colamos numa cartolina, boa?".
"– Boa!".
O da esquerda é uma homenagem assumida a esse «grande» tipo de letra que é o Comic Sans, e é uma espécie de catálogo de hipóteses matemáticas de quanto se pode esticar e encolher uma fonte. O seu estilo combina na perfeição com o sítio onde se insere: a Rua Garrett, no Chiado.
O da direita, por seu lado, tira partido das potencialidades do tipo Times New Roman (que como toda a gente sabe, com o seu estilo clássico e com as suas serifas proeminentes faz dele uma «excelente» escolha para sinalética e publicidade) e é também um monumento ao uso do hífen na língua portuguesa. Se repararem atentamente a palavra pré-pagamento é uma palavra composta (antes e depois do acordo ortográfico) pelo que precisa de um hífen. Ora o autor do cartaz esqueceu-se de repetir o hífen na linha de baixo (antes de «paga»). Para mostrar que sabe usar hífens, coloca o hífen (bem) no final de paga- e repete-o em -mento (mal).
Não há alguém que vá lá explicar ao senhor como é que se faz?
A cereja no topo do bolo é mesmo o N de pagamento que está rodado 180º. Lindo!...

1 comentário:

  1. Só tu para veres esse "n" rodado!

    Juri Faustino

    ResponderEliminar